Imprimir

O mistério da vocação

Escrito por Pe. José Adriano Barbosa dos Santos on .

Sempre ouvi dizer que vocação é chamado. E realmente é. A primeira coisa que a gente lembra quando se fala em vocação é que ela significa chamado. Mas que chamado é esse?

É um chamado misterioso. Nem sempre a voz que chama é uma voz clara, nítida, audível. Esse chamado nos parece sempre misterioso. Mas no decorrer de nossa vida, somos chamados: chamados a ser, chamados a nascer, chamados a viver, a morrer e a ressuscitar, para enfim sermos completamente unidos ao autor da vida.

Viver não é apenas estar vivo. Parece estranha esta frase, mas é isso mesmo. Para nós humanos, viver é muito mais. Dentre as milhares de espécies vivas, o ser humano é uma espécie que pensa na sua própria existência. Ele não se contenta apenas com aquilo que é dado a ele. As funções básicas dos seres vivos são intercaladas por atividades que mostram o sentido da vida. Todo ser vivo nasce, cresce, reproduz e morre. Mas o ser humano quer sempre algo mais. Quer saber o porquê de tudo isso.

Por isso, de acordo com o ambiente que a gente vive, muitos chamados vão acontecendo em nossa vida. E esses chamados vão ajudando a gente modelar nossa consciência a respeito da vida. Fui chamado a ser, por isso, sou. Fui chamado a viver, por isso, vivo. Fui e sou chamado a conviver, a crescer, a compreender,a servir, a criar, a ajudar. As situações que acontecem em nossa vida são o chamado. E aí cada um de nós faz o seu caminho vocacional. Diante delas fazemos nossas escolhas. Nesse ambiente, sou chamado a servir de acordo com as necessidades do local, mas também de acordo com minhas possibilidades.

Acontece que um dia pensando sobre a vida, me sinto chamado a um projeto maior. A gente descobre outras razões para viver. A gente descobre que a vida da gente pertence a Deus e que ele nos chama para algo mais. Vejo que minha vida esta muito além de mim mesmo. Descubro que se eu fosse a única razão do meu viver, meu viver seria muito pobre de razão. Descubro que além da força física que recebo das coisas que eu como, sou também alimentado com outra força que se chama amor. A presença do amor em mim é que me faz responder aos diversos chamados que Deus me faz através da vida.

O chamado é misterioso. A vocação é um mistério. Mas é forte, atuante, vital, perceptível pelo coração, mas muitas vezes, invisível aos olhos. Mas vai chegando, tomando conta da gente, às vezes dói, dá medo, gera angústias e incertezas, mas faz a gente feliz.

Pe. José Adriano Barbosa dos Santos